conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Brasil

Ex-ministro, Milton Ribeiro, é preso em operação que investiga desvio de verbas na Educação

Ribeiro é investigado por corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência por suposto envolvimento em um esquema para liberação de verbas do MEC.

Ex-ministro, Milton Ribeiro, é preso em operação que investiga desvio de verbas na Educação

O ex-ministro da educação do governo de Jair Bolsonaro (PL), o pastor Milton Ribeiro foi preso nesta quarta-feira (22) na operação da Polícia Federal Acesso Pago, que investiga supostos crimes de tráfico de influência e corrupção na destinação de verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Além do ex-ministro, que comandou a pasta entre 2020 e março deste ano, a polícia cumpriu um total de 5 mandados de prisão e 13 de busca e apreensão. A operação desta terça foi deflagrada após identificação de indícios de prática criminosa para a liberação de verbas públicas por parte da Controladoria Geral da União.

Entre os presos estão os também pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, eles são investigados por atuar informalmente junto a prefeitos para a liberação, por meio de concessão de propina, de recursos do Ministério da Educação.

As ordens judiciais foram emitidas pela 15ª Vara Criminal do DF e a investigação corre em sigilo. A operação foi autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, já que um dos investigados tem foro privilegiado.

As suspeitas de desvios em recursos do FNDE foram alvo de investigação do Tribunal de Contas da União em abril. O caso foi revelado pela imprensa em março deste ano e motivou a exoneração de Milton Ribeiro naquele mês.

Em áudio divulgado em março, Ribeiro afirma que o presidente Jair Bolsonaro pediu a ele que os municípios indicados pelos dois pastores recebessem prioridade na liberação de recursos. Prefeitos disseram em depoimento que eles exigiram propina.

Os policiais federais também fizeram buscas em endereços ligados aos investigados. Outro alvo de mandado de busca foi a sede do Ministério da Educação, em Brasília.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Campo Mourão

Aniversariante chegou a se esconder no meio do mato pra fugir de blitz da aglomeração.

Campo Mourão

Cidade já perdeu 126 moradores para doença

Campo Mourão

Esta é a 119ª vitima da doença no município.

Campo Mourão

Outras 221 apostas faturaram a quadra.