conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Comcam

Pregoeiro de Fênix é multado por falta de cláusulas essenciais em edital de licitação

O Pleno do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) multou em R$ 4.301,60 o pregoeiro do Município de Fênix Nilson Cristiano Meira Aleixo. O motivo foi a ausência de cláusulas essenciais no edital e na minuta do contrato do Pregão Presencial nº 19/2020, cujo objetivo é a aquisição de material escolar e de expediente por essa prefeitura. Cabe recurso contra a decisão.

Os itens faltantes consistem nas previsões de índices de multa, juros de mora e correção monetária em caso de atraso nos pagamentos devidos pela prefeitura à eventual vencedora da licitação. A sanção, prevista na Lei Orgânica do TCE corresponde a 40 vezes o valor da Unidade Padrão Fiscal do Estado do Paraná (UPF-PR). O indexador, que tem atualização mensal, valia R$ 107,54 em novembro, quando o processo foi julgado.

A decisão resultou da procedência parcial de representação interposta pela empresa Ativa Mall Comércio de Utilidades Ltda. Por meio da peça, a interessada também alegou que o instrumento convocatório do certame continha item ilegal que restringia a participação na disputa somente a microempresas e empresas de pequeno porte sediadas no Município de Fênix.

Os conselheiros, que, em juízo liminar, haviam suspendido cautelarmente o andamento da disputa em virtude desse motivo, não vislumbraram irregularidade na questão quando do julgamento do mérito. Para eles, a prefeitura demonstrou, em sua defesa sobre o caso, a possibilidade de realizar a restrição territorial, assim como comprovou os benefícios que poderiam ser trazidos ao município pela medida.

No entanto, como o edital não apresentou justificativa apropriada para a referida limitação, foi emitida recomendação à administração municipal para que, em futuros certames com previsão semelhante, apresente razões detalhadas para a decisão, inclusive com a apresentação de plano de ação.

Em seu voto, o relator do processo, conselheiro Artagão de Mattos Leão, seguiu o mesmo entendimento manifestado pela instrução da Coordenadoria de Gestão Municipal (CGM) e pelo parecer do Ministério Público de Contas (MPC-PR) sobre o caso. Os demais membros do órgão colegiado do TCE-PR acompanharam, de forma unânime. Com isso, o procedimento licitatório poderá ser retomado.

Com TCE-PR

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Paraná

Quase 12% das pessoas internadas por covid-19 no Paraná, nesta terça-feira (23), têm entre 20 e 39 anos.

Campo Mourão

Decisão foi tomada diante do aumento de casos da covid-19 e a lotação de leitos hospitalares.

Campo Mourão

Esta é a segunda confirmação neste domingo (14) no município.

Campo Mourão

Após 19 dias de internação para tratamento do vírus, ele apresentou boa evolução do quadro clínico de saúde.