conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Campo Mourão

Quanto custa se eleger vereador em Campo Mourão? Eleitos declararam arrecadação de R$ 185 mil

Terminou na última terça-feira (15), a apresentação da prestação de contas final dos candidatos e partidos durante as eleições municipais 2020. Para saber os valores gastos pelos postulantes à Câmara Municipal de Campo Mourão, o Blog do Raoni consultou os dados disponíveis no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e acessados pela reportagem na tarde deste sábado (19).

De acordo com o TSE, os eleitos também deveriam apresentar os números até terça para que pudessem ser analisadas a tempo da diplomação. Na cidade, a cerimônia ocorreu na sexta-feira (18).

Juntos, os 13 vereadores eleitos para o Legislativo mourãoense conseguiram uma receita de R$ 185.493,23 para suas campanhas eleitorais. Ou seja, um investimento médio de R$ 14.268,71 para se eleger. O montante utilizado esta bem abaixo do teto individual estipulado pelo TSE para vereador que foi de R$ 111.649,44 para a cidade.

As duas únicas mulheres eleitas estão nas pontas da lista de receita e despesas. Quase 23% foram registrados somente pela campanha da candidata do Podemos, Naiany Hruscka, que informou ao TSE ter obtido uma receita de R$ 41.335,87. Ainda de acordo com os dados, menor receita foi de Elvira Lima (Cidadania) no valor de 4.128, 03.

O vereador Paulo Pilatte (PSL) arrecadou somente R$728,40 a mais que Elvira e também pode compor a lista da menor receita, com R$ 4.856,43 recebidos.

Os vereadores Escrivão Parma (PSD), Sidney Ronaldo Ribeiro “Tuncano” (PSD), Toninho Machado (PSC), Márcio Berbet (PP) e Edilson Martins (Cidadania), seguem a lista dos que mais investiram entre os 13 diplomados com valores acima de duas casas decimais entre R$ 12 a 26 mil.

A maioria do investimento declarado pelos eleitos veio de doações de pessoas físicas. As exceções são os vereadores, Márcio Berbet que declarou que cerca de 48% usados em sua campanha foram investidos pelo próprio candidato. E os vereadores Toninho e Tucano que em suas prestações de contas declaram como maiores doadores a direção da legenda a qual são filiados.

Confira os valores das receitas e despesas declaradas pelos candidatos por ordem de arrecadação.

  • Naiany Hruscka (PODE)

Naiany com 847 votos foi a 11ª mais votada da cidade, sendo eleita por média alcançando o equivalente a 1,77% do total de votos válidos. Como candidata, ela teve uma receita de R$ 41. 335,87, sendo que 54,69% foram de recursos doados por uma única pessoa física. Ela gastou R$ 40.615,49, destes 59,71% foram em despesas com pessoal.

  • Sidnei Tucano (PSD)

Tucano com 939 votos foi o oitavo candidato a vereador mais votado da cidade, sendo eleita por média alcançando o equivalente a 1,97% do total de votos válidos. Como candidato, o vereador reeleito teve uma receita de R$ 26.073,71 onde 56,65% foram de recursos oriundos da Direção Municipal do PSD. Ele gastou R$ 26.580,74 sendo 57,05% foram em despesas com pessoal.

  • Escrivão Parma (PSD)

O vereador foi eleito por quociente eleitoral com 2,48% dos votos válidos, sendo o segundo mais votado da cidade com 1.185 votos. Como candidato, Parma teve uma receita de R$ 26.073,71 sendo que 40,17% foram de recursos doados por uma única pessoa física. Ele gastou R$ 25.995,43 destes 76,65% foram em despesas com pessoal.

  • Toninho Machado (PSC)

O candidato foi o 27º mais votado nas eleições, se elegeu por média com 499 votos que equivalem 1,04% dos votos válidos.  Durante a campanha, teve uma receita de R$ 20.863,03 deste valor 36,76% foram de recursos oriundos da Direção Municipal do PSC. Ele gastou, 89,08% dos R$ 18.283,95 em despesas com pessoal.

  • Márcio Berbet (PP)

Berbet com 754 votos foi o 15ª mais votado da cidade, sendo eleito por média alcançando o equivalente a 1,58% do total de votos válidos. Na campanha, 47,32% dos R$ 12.910,87 arrecadados vieram do próprio candidato. Ele gastou R$ 11.937,31 sendo 50,26% impulsionamento de conteúdo na internet.

  • Edilson Martins (Cidadania)

Martins com 952 votos foi o sétimo mais votado entre os candidatos, sendo eleito por média alcançando o equivalente a 1,99% do total de votos válidos. O candidato teve uma receita de R$ 12.529,78, sendo que 28,73% foram de recursos doados de uma única pessoa física. Ele gastou R$ 9.951,50, destes 85,41% foram com despesas com pessoal.

  • Bina (Cidadania)

O vereador foi eleito por quociente eleitoral com 2,15% dos votos válidos, sendo o quarto mais votado da cidade com 1.025 votos. Como candidato, Bina teve uma receita de R$ 9.660,18, sendo que 31,06% foram de recursos doados por uma única pessoa física. Ele gastou R$ 9.581,90, destes 86,10% foram em despesas com pessoal.

  • Jadir Pepita (Cidadania)

Pepita com 1.002 votos foi o quinto mais votado entre todos os candidatos, sendo eleito por média alcançando o equivalente a 2,10% do total de votos válidos. O candidato teve uma receita de R$ 8.153,28, sendo que 38,94% foram de recursos doados de uma única pessoa física. Ele gastou R$ 8.075,00 destes 100% foram usados em despesas com pessoal.

  • Subtenente Macedo (PROS)

O vereador foi eleito por quociente eleitoral com 2,04% dos votos válidos, sendo o sexto mais votado da cidade com 974 votos. Como candidato, Macedo teve uma receita de R$ 7.183,87, sendo que 98,61% destes recursos foram doados por uma única pessoa física. Ele gastou R$ 6.037,10, destes 98,61% foram em despesas com pessoal.

  • Tio Leco (PP)

O vereador foi eleito por quociente eleitoral com 1,59% dos votos válidos, sendo o 14º mais votado da cidade com 759 votos. Como candidato, teve uma receita de R$ 6.000,87, sendo que 90,00% destes recursos foram doados por uma única pessoa física. Ele teve 88,46% dos R$ 5.200,00 de gastos em despesas com pessoal.

  • Miltinho Cidade Nova (PSDB)

O vereador foi eleito por quociente eleitoral com 1,85% dos votos válidos, sendo o 10º mais votado da cidade com 882 votos. Na campanha teve uma receita de R$ 5.136,53, sendo que 31,15% destes recursos foram doados por uma única pessoa física. Ele teve 80,39% dos R$ 4.994,35 de gastos em despesas com pessoal.

  • Paulo Pilatte (PSL)

O vereador com 519 votos foi o 25º mais votado entre os candidatos, sendo eleito por média alcançando o equivalente a 1,09% do total de votos válidos. O candidato teve uma receita de R$ 4.856,43, sendo que 32,95% foram de recursos doados de uma única pessoa física. Ele gastou R$ 4.778, 15, destes 84,76% foram com despesas com pessoal.

  • Elvira Lima (Cidadania)

A vereadora foi reeleita por quociente eleitoral com 3,72% dos votos válidos, sendo a mais votada com 1.777 votos. Como candidata teve uma receita de R$ 4.128, 03, sendo que 29,68% foram de recursos doados de uma única pessoa física. Ela gastou R$ 4.049, 75, destes 81,73% foram com despesas com pessoal.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Campo Mourão

Aniversariante chegou a se esconder no meio do mato pra fugir de blitz da aglomeração.

Campo Mourão

Decisão foi tomada diante do aumento de casos da covid-19 e a lotação de leitos hospitalares.

Paraná

Quase 12% das pessoas internadas por covid-19 no Paraná, nesta terça-feira (23), têm entre 20 e 39 anos.

Campo Mourão

Esta é a segunda confirmação neste domingo (14) no município.