Campo Mourão Educação Todos

Com 79% dos votos, comunidade do Vinícius de Moraes rejeitou a militarização do colégio

Entrada do Colégio Estadual Vinícius de Moraes Campo Mourão

A Comunidade escolar do Colégio Estadual Vinícius de Moraes aprovou nesta quarta-feira (28) posicionamento contrário à instalação do modelo cívico-militar na escola. O colégio é um dos quatro indicados pelo governo do Estado para sofrer intervenção em Campo Mourão.

A consulta às mães, pais, responsáveis, estudantes, professores e funcionários, é a última etapa antes da implantação da militarização em 215 escolas estaduais.

A maior parte da comunidade votou contra a instalação da militarização no colégio. Entre os votantes, 158 votos foram contra o modelo, que recebeu apenas 41 votos a favor, e ainda houve 2 nulos.

Todo o processo eleitoral foi realizado por uma comissão de representantes do Núcleo Regional de Educação (NRE) e o voto foi aberto em lista pública.

O projeto e a consulta foram realizados de forma muito rápida pelo governo do estado. Do momento do anúncio da lista com os nomes das escolas que sofreriam intervenção até o momento inicial da votação não se passou mais de 24 horas.

Então o que se viu foi muito debates em redes sociais e campanhas via mensagens de whatsapp. A principal justificativa para a reprovação por parte da comunidade é que o Colégio Vinícius de Moraes vem realizando uma gestão escolar que trouxe profundas melhorias na vida dos alunos e na estrutura do colégio, sendo o modelo militar não compatível com o atual momento da escola.

Entre os debates vistos, foi citado o fato de que o colégio não se encaixaria no perfil, pois nos últimos anos dobrou o seu IDEB e em 2019 teve índices de fluxo e frequência entre as melhores da rede estadual em Campo Mourão.

Segundo a mãe de uma aluna da escola, todas as informações que os pais têm ainda são especulativas. Ela reclama da falta de informação sobre o projeto e de isso ter acontecido em momento de uma pandemia mundial.

“Meu questionamento é como que colocar um projeto tão sério, sem que ele seja debatido e bem explicado. Como podem pedir para votar sem os devidos esclarecimentos?”, escreveu a mãe em rede social.

Para o diretor do colégio, o professor Raoni de Assis o resultado era esperado já que a comunidade é muito unida e coesa nos projetos e nos rumos que querem dar para a escola. Nos últimos anos, além da comunidade escolar, os moradores do bairro abraçaram o colégio.

“Vivemos num espírito de muita confiança, juntos lutando para cada vez mais o Vinícius de Moraes continuar melhor, continuar crescendo, pois essa região merece toda atenção e a melhor educação que nós podemos oferecer”, disse o diretor.

No texto da lei diz que o resultado da consulta popular tem peso determinante para transformar ou não a escola em militar, caso a comunidade rejeite não haverá implementação desse modelo.

A secretaria da educação prorrogou até sexta-feira (30) o prazo de votação na consulta nas escolas que não tenham atingido o quórum mínimo, em Campo Mourão, as comunidades escolares dos colégios Antônio Teodoro e Unidade Polo, ainda não terminaram de registrar seus votos.

Foto área do Colégio Estadual Vinícius de Moraes


Deixe um comentário